Notícias Corporativas

Cobertura de tatuagens tem superado as remoções a laser

No cenário contemporâneo, a tatuagem deixou de ser apenas uma expressão artística para se tornar uma parte integrante da cultura popular. No entanto, junto com o aumento da popularidade das tatuagens, também cresce a demanda por serviços de remoção e cobertura. No Brasil, a cobertura das pinturas corporais emergiu como uma indústria em ascensão, refletindo uma busca constante por mudanças e liberdade de expressão pessoal.

Dados recentes da Associação Brasileira de Dermatologia (ABD), em pesquisa encomendada à Modor Intelligence, apontam que o segmento de cobertura de tatuagens tem experimentado um crescimento bastante expressivo nos últimos anos, tendo aumentado, em média, 20% ao ano desde 2018. Esse fenômeno pode ser atribuído a diversos fatores, incluindo mudanças de gosto, necessidades da carreira profissional e até arrependimentos pessoais.

De acordo com a ABD, um dos motivos que mais levam as pessoas aos estúdios para a cobertura de tatuagens, são as pinturas feitas como celebração de um relacionamento. Eternizar o rosto ou nome da pessoa amada na pele nem sempre é satisfatório a longo prazo.

As celebridades mostram como a cobertura das tatuagens tem se mostrado uma melhor opção comparada à sua remoção a laser. Além do fator ‘dor’, há também uma certa necessidade de que aquela recordação seja apagada rapidamente da pele, sendo muito mais demorado que os procedimentos de remoção a laser.

MC Guime, após a separação com Lexa, cobriu o rosto da cantora com um rosto de outra mulher, com boné de uma bandana na boca. O procedimento, segundo publicado pelo próprio influenciador, levou apenas algumas horas no estúdio de tatuagem. Daniel Couto, CEO da iTattoo Club, explica as diferenças: “Para remover uma tatuagem, dependendo da técnica, tinta, local onde foi aplicada e de outros fatores, leva de 8 a 10 sessões para ser concluído. Se considerarmos que o tempo entre uma sessão e outra deve ser de 2 meses aproximadamente, estamos falando de 2 anos para a remoção completa do desenho, a um preço por sessão que pode variar muito, mas gira em torno dos R$ 500 reais por sessão. Enquanto a cobertura, dependendo também do tamanho, pode ser realizada em uma única sessão, de poucas horas.”, explica o especialista.

A influenciadora Virgínea Fonseca, hoje casada com o cantor Zé Felipe, também cobriu recentemente uma tatuagem que havia feito em homenagem ao YouTuber Rezende, com quem tinha relacionamento antes do sertanejo. De acordo com a própria influenciadora, em suas redes sociais, a tatuagem já estava desbotada e necessitaria de retoque. Então, ela ja ‘aproveitou o processo’ e cobriu o nome do ex com lindos raminhos de folhas. 

“Apesar de hoje contarmos com técnicas e equipamentos que nos permitem uma excelente cobertura, é sempre importante frisar que, antes de fazer uma tatuagem, o cliente tenha absoluta certeza daquilo que será marcado permanentemente na pele.”, comenta Couto, da iTattoo Club.

No entanto, não são somente os nomes de affairs que demandam a cobertura de tatuagens. A escolha de maus profissionais, muitas vezes, acaba gerando um imenso prejuízo financeiro, físico e psicológico em clientes que desejam marcar na pele algo especial.

“Além de ter absoluta certeza do que irá tatuar, procure sempre um profissional de confiança, de preferência com referência e com capacitação técnica adequada para evitar dissabores, como tatuagens mau feitas ou que causem prejuízo à saúde do cliente, por falha na assepsia ou algo assim”, alerta o especialista.

 

iTattoo Club

Rua Dr. Paulo Vieira, 156, Sumaré, São Paulo, SP

%d blogueiros gostam disto: