EconomiaNotícias Corporativas

Indicação atrai clientes mais qualificados no will Bank

Indicar locais, produtos e serviços aos amigos é uma prática muito comum. Quem nunca precisou de uma boa dica e foi buscá-la num grupo de colegas por confiar nessas indicações? É essa mesma dinâmica que o will Bank enxerga como uma das estratégias de negócio. Entre os mais de 6 milhões de clientes atuais, 15% deles entraram por meio de indicações dos próprios clientes, ou “will-migos”, como o próprio banco apelidou numa campanha recente. Só em 2023, 21% dos novos clientes entraram a partir dessa dinâmica, na qual tiveram uma chance maior de serem aprovados – já que a análise é diferenciada -, o que resultou em um limite maior – em média de 25% a mais.

A prática do Referral Marketing, embora pouco utilizada no Brasil, se destaca como uma estratégia bastante assertiva para impulsionar a base de clientes de uma empresa. Clientes satisfeitos, em geral, compartilham experiências com a rede de relacionamento. Por outro lado, clientes indicados, que já estão com essa boa referência, são melhores fidelizados à marca.   

“Clientes que são indicados por outros clientes têm um comportamento mais qualificado e são menos inadimplentes. Cerca de 78% dos ‘will-migos’, indicaram alguém que não tinha crédito, isso dialoga diretamente com a missão do will de dar aceso a serviços financeiros que tornem as pessoas protagonistas e responsáveis  por suas vidas financeira”, completa Felipe Félix, CEO do will. 

Entre os clientes que indicam o will, 67% costumam ser referência de dicas financeiras para outras pessoas, 29% gostam de participar de ações de indicações para ganhar algo em troca, e 24% gostam de saber as novidades tecnológicas e de pesquisar para se manter informado, segundo levantamento interno do banco digital.

Desde o início do programa de indicação, uma única cliente já chegou a indicar um total de 1.042 nomes. Entre os top 10 clientes que mais indicaram, oito são mulheres e, ao todo, somam quase 3 mil nomes indicados, sendo 95% deles só em 2023, uma resposta positiva às campanhas realizadas nas redes sociais, e-mails e mensagens de push no aplicativo para reforçar a ação de indicação.  “A prática, se vista com atenção, ajuda a calibrar a política de crédito”, finaliza o CEO.

%d blogueiros gostam disto: