Notícias Corporativas

Premiação inédita seleciona 15 cases de inovação no SUS

O Ibross (Instituto Brasileiro das Organizações Sociais de Saúde) definiu as 15 unidades públicas de saúde finalistas do “Prêmio CriAção SUS”, iniciativa inédita que irá reconhecer cases de sucesso implantados em instituições da rede pública de saúde de todo o Brasil de todo o Brasil (a relação completa pode ser conferida no site www.ibross.org.br). 
 
A premiação, que conta com apoio do Conasems (Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde), Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saúde) e do Instituto Ética Saúde, irá pagar R$ 10 mil para cada um dos cinco autores de projetos vencedores, que serão anunciados no próximo dia 8 de dezembro, durante solenidade na sede da OPAS em Brasília (DF). As instituições representadas irão receber um certificado. 
 
O “CriAção SUS”, que visa incentivar a implantação de novas tecnologias e de soluções inovadoras que contribuam com o desenvolvimento e o fortalecimento do SUS, recebeu desde agosto cerca de 400 inscrições de projetos, em cinco categorias: Atenção Primária, Atenção Especializada, Pré-hospitalar, Atenção Hospitalar não-exclusivo SUS (instituições que atendem pacientes do SUS e de convênios/particulares) e Atenção Hospitalar Exclusivo SUS. Foram selecionados três finalistas em cada categoria. 
Dos trabalhos finalistas, seis são de serviços públicos de saúde localizados no estado de São Paulo, quatro do Ceará, uma do Rio Grande do Sul, uma do Espírito Santo, uma do Paraná, uma de Minas Gerais e uma de Goiás. 
 
Um dos critérios levados em conta pelos avaliadores dos projetos inscritos no “CriAção SUS” é a possibilidade de o case ser replicado em outros serviços públicos de saúde pelo país. Além disso, a comissão julgadora não teve acesso aos nomes das instituições de saúde concorrentes, assegurando total imparcialidade na avaliação dos projetos.
O propósito da premiação é reconhecer, destacar, incentivar e disseminar as ações e projetos de sucesso na gestão da saúde pública brasileira, implantados pelas diferentes instituições, com a finalidade de solucionar problemas concretos para proporcionar mais qualidade, segurança e eficácia no atendimento aos pacientes da rede pública.
Foram avaliados para o prêmio projetos inscritos em temáticas como tecnologia, responsabilidade social e sustentabilidade, processos organizacionais, gestão financeira, assistência à saúde, ética e compliance.
 
Agora os 15 trabalhos selecionados passarão pelo crivo de uma banca examinadora formada pelos especialistas em saúde da OPAS, do Instituto de Estudos para Políticas e da FGV. 
 

%d blogueiros gostam disto: